A sua felicidade é autêntica?

17155507_1326277124075330_4354733130318964203_n

Você provavelmente não sabia até ler este texto, mas o dia 20 de março é o dia Internacional da felicidade (the international Day of happiness).  

Celebrar o dia Internacional da Felicidade foi uma decisão  de uma Assembléia com 193 membros de estados das Nações Unidas  que aconteceu em  junho de 2012, quando eles tiveram a conclusão que a felicidade é fundamental para o alcance de objetivos dos humanos e que a felicidade humana reflete no crescimento da economia promovendo desenvolvimento sustentável e erradicação da pobreza, gerando mais felicidade e bem estar em mais pessoas.

Você já ouviu  a música Happy do Pharrell Willians? Esta música marcou a primeira celebração do dia da Felicidade no mundo em 2013 com uma campanha online do Pharrell convidando pessoas do mundo inteiro a gravarem vídeos com a música celebrando o primeiro dia internacional da felicidade.

Como um dos Positive and Happiness Coach da Sociedade Brasileira de Coaching, uma formação inédita que tem como objetivo formar coaches para propagar a felicidade pelo mundo, escrevi este texto para você leitor fazer uma auto-analise se a sua felicidade é autêntica ou não, além de identificar os tipos de felicidade, entender porque ser feliz faz a diferença na sua vida e no mundo, além de técnicas de como desenvolver a felicidade.

Marting Seligman, um dos líderes da Psicologia Positiva, descreve felicidade como um estado mental de bem-estar caracterizado por emoções positivas ou agradáveis que vão desde o contentamento  até a intensa alegria.

“É fácil você medir a sua felicidade. Para saber se você é ou não feliz basta você avaliar se você julga a sua vida mais favoravelmente ou desfavoravelmente”, diz Martin Seligman no seu livro Felicidade autêntica.

Esta definição veio de estudos de três teorias da felicidade que Martin embasou para a definição de felicidade.

A teoria do Hedoismo: que aponta que uma vida feliz maximiza os sentimos de prazer e minimiza a dor. Então a felicidade é quando há mais prazer do que dor.

A teoria do desejo: que é quando a felicidade acontece quando o individuo consegue o que quer, seja poder, prestigio, riqueza, fama, boa aparência, bens materiais, ou seja, a realização do desejo contribui para a felicidade.

A teoria da lista de objetivos:  quando a felicidade consiste em atingir metas de uma lista de atividades que trazem benefícios à pessoa, como carreira, amizade , saúde, conforto material, beleza, educação , amor, conhecimento e boa consciência.

O que é felicidade autêntica?

Da junção destas três teorias, Seligman concluiu que para se ter uma felicidade autêntica você precisa ter uma vida que seja agradável, boa e significativa.

A vida agradável é uma vida com foco em prazeres, prazeres estes que precisamos desenvolver habilidades para alcançar. A vida boa foca em engajamento, é descobrir a sua personalidade, o seu jeito de ser, e usá-los para um bom posicionamento no mundo e para realizações na sua vida. E a vida significativa, que foca no seu valor, é o aproveitar as suas forças a serviço de algo maior do que você para tornar a sua vida plena.

Todos nós queremos ser feliz, mas você já parou para pensar por que temos esta necessidade de felicidade constantemente? Esta resposta é muito simples: por questão de sobrevivência.

Nosso cérebro desenvolveu desde nossa infância a necessidade de sobrevivência, algo que acontece constantemente no lado esquerdo do nosso cérebro, e a felicidade aumenta as chances de sobrevivência. Estudos mostram que devemos sim nos preocupar com a felicidade pelos seguintes motivos:

  • Felicidade gera saúde: Pessoas felizes e satisfeitas são menos suscetíveis a hipertensão, doença cardíaca, diabetes, resfriados e infecções respiratórias. Já as infelizes podem ter depressão, e aumentar a chance de ter todas as doenças já mencionadas.
  • Felicidade tem poder de cura: Pessoas felizes reduzem a percepção de dor. Uma pesquisa da Universidade de Harvard que fez um teste de felicidade com 1300 homens durante uma década mostrou que os que eram mais felizes se curavam mais rápido de doenças graves, além de serem mais dispostos a fazer exercícios físicos e exames regulares de saúde.
  • Pessoas felizes são mais produtivas: Estudos mostram que um profissional feliz produz de 10 a 15% a mais do que profissionais infelizes. Isso significa que durante uma semana, a produtividade chega a ser 75% a mais de um profissional feliz para o infeliz.
  • Pessoas felizes são mais persistentes e solidárias: São pessoas que conseguem trabalhar em tarefas complicadas por mais tempo, concluem tudo que iniciam, e ainda ajudam outras pessoas que tem dificuldade em persistir em seus objetivos. Pessoas felizes são generosas porque são menos focadas em si mesmas.
  • Pessoas felizes vivem mais: Um estudo realizado de 2001 a 2011 com 180 freiras norte-americanas mostrou que as que viviam realmente a sua vocação, ligadas aos seus valores e missão de vida e tinham uma visão otimista da vida, viveram mais do que as irmãs freiras que eram pessimistas.
  • Pessoas felizes são as mais lembradas: E isto acontece por que pessoas felizes são mais criativas e por isso tem idéias que as marcam tanto na vida profissional como na vida pessoal, além de serem mais construtivas e transformarem uma simples idéia em uma tremenda oportunidade. Também são generosas e ajudam pessoas a alcançarem seus objetivos. Tudo isso faz com que a pessoa feliz seja uma pessoa inesquecível na vida de quem passa por ela.

Se você fez uma reflexão com esta leitura e concluiu que ainda não é feliz como gostaria de ser, a boa noticia de toda esta explicação sobre felicidade é que felicidade pode ser desenvolvida com técnicas extremamente possíveis de se auto aplicar.

Você precisa identificar os pensamentos e crenças que enfraquecem a sua felicidade e questionar se estes pensamentos e crenças são realmente verdadeiros. Os que não são reais, você simplesmente enfraquece-os reconhecendo-os como mentirosos.  Já os pensamentos e crenças com fundamentos, você substitui o pensamento pessimista e a crença limitante por um pensamento otimista e crenças fortalecedoras

Um exemplo de como você pode fazer isso é o após a leitura deste texto. Você provavelmente deve ter identificado alguns pontos onde não tem felicidade na sua vida, mas o fato de ler este texto até o final lhe muniu de informações e técnicas para mudar estes pontos de infelicidade, e provavelmente lhe causou um sensação de que você pode mudar o que não está satisfatório em sua vida, ou seja, você mudou o pensamento  que a identificação lhe causou, por um pensamento feliz quando as técnicas de desenvolvimento de felicidade lhe foram apresentadas. Com isso, o seu bem-estar já aumentou além da sensação de autocontrole e o seu nível de resiliência.

Agora é com você: Viva a sua felicidade autêntica.

Postado em Uncategorized.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>